Governo de SP tem 5 dias para divulgar situação da pandemia nos presídios

O governo de São Paulo tem até segunda-feira para divulgar situação da pandemia de coronavírus nos presídios do estado. A decisão é da Vara da Fazenda Pública, que deu cinco dias para que a Secretaria de Administração Penitenciária passe a divulgar as informações sobre a situação da pandemia nos presídios.

A secretaria administra o maior sistema prisional do país. São 176 unidades prisionais, cerca de 250 mil presos e 49 mil funcionários.

Segundo o balanço divulgado nessa quinta-feira, 732 servidores testaram positivo para o coronavírus e outros 299 estão afastados por suspeita de infecção. Entre os presos, o número de casos confirmados chega a 1.665, e outras 115 pessoas estão isoladas por suspeita de infecção.

Segundo o boletim, 16 presos e 19 servidores morreram em função da Covid-19 desde abril. Mas os dados acabam por aí, e não dá pra saber qual a situação em cada presídio.

A decisão da Justiça é resultado de uma ação movida pelo Sindicato dos Funcionários do Sistema Penitenciário do estado, o SIFUSPESP. Segundo levantamento do sindicato, o número de mortes registradas entre servidores é ainda maior. 22 pessoas desde março. Para o presidente sindicato, Fábio Cesar Ferreira, falta transparência nos dados do governo.

A avaliação é confirmada por uma pesquisa feita pela Fundação Getulio Vargas e divulgada também nessa quinta-feira. A pesquisa ouviu parentes de detentos. Cerca de 7 a cada 10 familiares não consegue ter informações sobre a situação de saúde do parente que está preso. E os poucos que tem a informação são os que conseguem pagar por um advogado. A pesquisa ouviu mais de 1,2 mil pessoas; 99% eram mulheres, a maioria pretas ou pardas.

Os funcionários também garantiram na Justiça do Trabalho o direito a equipamentos de proteção individual, os EPIs, testagem em massa em toda as unidades penitenciárias e o afastamento dos profissionais que fazem parte do grupo de risco, incluindo profissionais de saúde.

Em nota, a Secretaria de Administração Penitenciária diz que a testagem em massa foi feita apenas na Penitenciária II de Sorocaba, mas que nesse mês outras 26 unidades também vão ser atendidas. Não deu prazo para a realização de testes nas outras 149 unidades.

A nota informa ainda que os equipamentos de proteção, como máscaras luvas e aventais, estão sendo distribuídos, mas que começou agora a pedir recibo dos funcionários, e diz que desde março foi proibida visita os presídios para evitar novos casos de Covid, mas que os familiares podem se comunicar por carta com os presos.

Agência Brasil

Compartilhe nas Redes Sociais

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/e13combr/public_html/96fm/wp-includes/functions.php on line 5107